Suspeito de integrar milícia e acumular milhões consegue fugir de operação

Danilo Dias Lima, o Danilo Tandera, está foragido da Justiça

   Danilo Dias Lima, mais conhecido como Tandera, de 35 anos, conseguiu fugir de um cerco policial nesta quinta-feira. Ele é apontado pela Polícia Civil como o braço direito de Wellington da Silva Braga, conhecido como Ecko, e o responsável pela ramificação da milícia na Baixada Fluminense.
Nesta quinta-feira, a Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) e o Ministério Público estadual (MPRJ) fizeram a Operação Fiegling contra a milícia. Dos sete mandados de prisão preventivas em aberto hoje, quatro foram cumpridos, um contra um criminoso que já estava preso.
As investigações da especializada apontam que Tandera pratica extorsões, cobrança de taxa de segurança, e venda de sinal de TV, o “gatonet”, em bairros de Nova Iguaçu e em Seropédica.
Ainda de acordo com as investigações, Danilo é suspeito de ser o dono de dois imóveis de luxo em Seropédica avaliados em R$ 1,1 milhão cada. A receita do grupo criminoso liderado por ele é R$ 4 milhões por mês, segundo estimativa da polícia.
O Disque Denúncia oferece R$ 1 mil de recompensa por informações que levem à prisão de Tandera.
Já a recompensa por Ecko é de R$ 10 mil. O chefe da Liga da Justiça é um dos criminosos mais procurados do estado, contra quem há 10 mandados de prisão em aberto por homicídio, extorsão, associação criminosa, dentre outros crimes.
Matéria atualizada as 22.53

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo protegido !!