22 de julho de 2024

 Espetáculo infantojuvenil aborda período difícil da pandemia através da palhaçaria –  A pandemia de Covid-19 foi um período difícil, conturbado e preocupante para todos. Por amor próprio e ao próximo, se isolar se fez necessário para conter a disseminação de um vírus agressivo e, muitas vezes, fatal. Mas, o tempo passou, a ciência avançou e a vacinação contra a doença trouxe para a sociedade o sopro da esperança em meio ao caos. Diante disso tudo, que tal dar boas risadas sobre essa narrativa através de um grupo de atores e palhaços? Pois é. Essa é a proposta do espetáculo infantojuvenil “Uma saga na quarentena”, que estreia dia 21 de abril, no teatro Gláucio Gill, em Copacabana, no Rio de Janeiro.  

A montagem foi contemplada pelo Prêmio FUNARJ de Montagem Teatral – 2021 e conta com o apoio institucional do Governo do Estado do Rio de Janeiro, da FUNARJ e da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa. Ludicidade, humor e reflexão em cena por meio de atores circenses de tirar o fôlego. “É um espetáculo de palhaçada, tem muito de circo e brincadeira. Um convite para olhar um momento recente tão delicado da nossa história e rir de nós mesmos, das nossas próprias tragédias. De forma respeitosa, leve e lúdica apresentamos alguns dilemas que vivemos durante o período de isolamento social até o momento mais atual de retomada cautelosa das atividades”, ressalta a atriz Letícia Lisboa, que interpreta a palhaça Neca de Catibiriba.

 A ideia do espetáculo começou no auge da pandemia entre 2020 e 2021, durante um curso de escrita criativa da escritora Maria Inês do Espírito Santo. A autora do espetáculo e aluna do curso, Luciana Borges, decidiu se debruçar sobre o tema a partir de um relato partilhado nos encontros. “O tema despertou o desejo de pensar sobre o cotidiano que vivenciamos ao longo do período de isolamento e como os contornos da vida privada ganharam maior dimensão afetiva e prática nesse período”, revelou Letícia.

 A proposta inicial foi contemplada no edital de roteiros do município de Duque de Caxias, através da Lei Aldir Blanc, sendo, posteriormente, selecionada no edital de montagem teatral da Funarj. Além de Letícia, que é co-fundadora da Cia Artística Sol Sem Dó e tem se dedicado a pesquisa cênica da brincadeira e palhaçaria desde 2010, o espetáculo traz o ator, palhaço, cancionista e também co-fundador da companhia, Jessé Cabral. A direção do espetáculo é de Cristiane Muñoz, doutoranda em Artes Cênicas, pesquisadora nas áreas de Palhaçaria, Educação, Filosofia e Neurociências. A direção musical fica por conta de Beto Gaspari, compositor autoral responsável pela trilha de diversos espetáculos teatrais nos últimos anos, especialmente de grupos da Baixada Fluminense. O cenário e figurino são de Higor Nery e a iluminação de Rodrigo Villas Boas.

Entusiasmada para estrear no Rio de Janeiro, a equipe de “Uma saga na quarentena” destaca: “Esperamos que o público se divirta, se encante e que através do riso seja possível abordar essa temática, que ainda é uma dor recente, de forma que o riso seja também ferramenta de cura para algumas experiências vividas neste contexto”.

SERVIÇO

CURTA TEMPORADA

UMA SAGA NA QUARENTENA

Classificação indicativa: livre

Gênero: Infantojuvenil 

Teatro Glaucio Gill

Endereço Praça Cardeal Arcoverde, s/n – Copacabana

Curta temporada: de 21 a 24 de abril

Horário: quinta a sábado, 20h; domingo, 19h

Ingressos: R$10,00 (inteira) / R$5,00 (meia-entrada)

Teatro Arthur Azevedo 

Endereço: R. Vítor Alves, 454 – Campo Grande, Rio de Janeiro – RJ

Datas: De 28 de abril a 1 de maio

De quinta a sábado 20h e domingo às 19h

Ingressos: R$10 inteira e R$5 meia

FICHA TÉCNICA:

Direção: Cristiane Munõz.

Dramaturgia: Luciana Borges.

Elenco: Letícia Lisboa e Jessé Cabral

Direção Musical: Beto Gaspari

Cenografia: Higor Nery

Figurino: Higor Nery

Iluminação: Rodrigo Villas Boas

Designer: Tatch Pereira

Animação: Tiago Carva

Fotografia: Higor Nery

Assessoria de imprensa: Laís Monteiro – Monteiro Assessoria de Imprensa

Direção de produção: Letícia Lisboa

Produção executiva: Leandro Fazolla

Registro audiovisual: Dutra Filmes

Realização: Cia Artística Sol Sem Dó.

Sinopse: 

Uma Saga na Quarentena é uma história simples, um recorte do cotidiano da personagem

que ganha ares épicos pelas conotações de mundo em que ela está imersa.

Na saga, a palhaça Neca de Catibiriba, batalha para recuperar um pé de meia que cai pela janela do apartamento, atribuindo uma narrativa heróica à ação, à medida que a protagonista, envolvida no contexto de isolamento social, transforma este objeto em um grande tesouro pessoal.

Quem também não lutou contra moinhos de vento ao longo desta pandemia? Quantas atividades, antes consideradas simples e rotineiras, não ganharam demasiada importância ao longo do isolamento social? Neste caso, a meia que se vai pela janela vira um código para discutir sobre as importâncias atribuídas às sagas vividas por cada um em seu contexto privado, provocando uma reflexão sobre a experiência do espaço doméstico durante o isolamento.