24 de julho de 2024

Os hospitais municipais de Nova Iguaçu comemoraram antecipadamente o Dia dos Pais com atividades especiais voltadas ao cuidado e ao bem-estar. Nesta sexta-feira (11), os acompanhantes e colaboradores da Maternidade Mariana Bulhões puderam aproveitar serviços de corte de cabelo e barba, degustação de café e ganharam lembranças alusivas à data. Na quinta-feira (10), a ação aconteceu no HGNI e também envolveu os pacientes internados.  

Diretora administrativa do HGNI e da Maternidade Mariana Bulhões, Tatiane Araújo explicou como foi pensada essas atividades para alcançar o público das duas unidades de saúde. “Este evento é para valorizar a figura paterna, seja o pai que está na maternidade aguardando pelo nascimento do filho, ou aquele que está no HGNI como paciente ou acompanhante, além de homenagear todos os nossos colaboradores”.

João Paulo da Costa Santos, de 21 anos, não imaginava ser pai, mas sua vida mudou quando recebeu a notícia da chegada do filho Pedro Henrique, que nasceu na Maternidade Mariana Bulhões. “É um sentimento diferente, nunca imaginei como seria, mas vamos seguir em frente juntos. Ainda não caiu a ficha que sou pai”, conta ele, emocionado, que aproveitou para participar das atividades.  

Na mesma enfermaria, Carlos Vitor Mafra, de 32 anos, também se tornou pai pela primeira vez, no entanto não falta experiência, pois ele também é padrasto do Bernardo, de 9 anos. Emocionado, ele contou que o enteado não vê a hora de conhecer a irmã Isabela, que nasceu no último dia 9 na Maternidade. “Confesso que tenho um pouquinho de medo, apesar da experiência por já ser padrasto. É bom, mas pegar minha filha no colo e acompanhar desde o início é uma mistura de sentimentos que eu não sei explicar. Estou muito feliz e quero para sempre estar com ela e minha família”, destaca.  

Vinicius dos Santos, de 21 anos, aproveitou as atividades enquanto acompanhava seu pai, internado no HGNI. Ele elogiou a iniciativa, destacando como tais ações ajudam a aliviar o estresse do paciente e do acompanhante. “São ações que ajudam bastante a distrair a cabeça do paciente e também do acompanhante, pois é difícil para qualquer um enfrentar a rotina hospitalar,” disse Vinicius, que está ansioso pela alta do pai e planeja passar o Dia dos Pais juntos.

O zelador Maike André de Souza, de 32 anos, que atua no HGNI, enfatizou que a ação é uma forma de acolhimento e valorização não apenas dos pacientes, mas também dos funcionários. “É um sentimento de carinho e gratidão por todos que pensaram e executaram esse projeto”, destaca o pai de Sara, de 8 anos, Manoel, de 3, e Thalia, de 2.