22 de julho de 2024

A peça de teatro documentário “69 Cômodos” será apresentada neste sábado (13), às 19h, no Espaço Cultural Código, em Japeri, na Baixada Fluminense. A montagem, realizada pelo grupo Teatro ao Redor, aborda as relações das pessoas comuns com suas casas e com a cidade. A entrada é gratuita.

Ao longo de dois meses, os artistas Alex Teixeira, Clarisse Zarvos e Vitor Kruter, integrantes do coletivo, percorreram os bairros da Lapa, Oswaldo Cruz, Penha, Gávea e Pavuna, na cidade do Rio de Janeiro. Durante esse período, registraram o cotidiano de moradores, seus sonhos, desejos, relações, memórias sobre os territórios, lutas e intimidades.  Os depoimentos, muitas vezes inusitados e envolventes, serviram de base para a criação da dramaturgia que apresenta um conjunto de pequenas histórias, como se cada pessoa fosse um museu individual, carregado de percepções e atravessamentos.

Nesse novelo de vivências, o grupo se deparou com um ex-compositor da Mangueira, uma senhora que vive há mais de 90 anos na mesma rua e uma criança que sonha em ser atriz de série coreana.

“69 Cômodos representa uma continuação de nossa pesquisa sobre temáticas urbanas. Na peça, o universo da casa não é visto em separação ao ambiente da rua, o que revela diferentes interações entre espaço público e privado”, destaca Clarisse Zarvos, que ao lado de Alex Teixeira, assina direção e dramaturgia desse projeto.  

O ponto de partida da peça é o Cortiço Chora Vinagre, localizado na Rua dos Inválidos, na Lapa. Trata-se de uma vila erguida no século XIX, e que inicialmente serviu como espaço de comércio de pessoas escravizadas. Posteriormente passou a ser hospedaria de mercadores que vinham comercializar especiarias no Rio, e nas primeiras cinco décadas do século XX foi residência exclusiva de portugueses, sendo os homens floristas e as mulheres lavadeiras. Até hoje o local mantém as características arquitetônicas típicas do século XIX. O Chora Vinagre é dividido em 69 cômodos (daí surgiu o nome do espetáculo), com dependências coletivas, como banheiros, cozinhas e lavanderias. 

“A narrativa do espetáculo se conecta através da tecitura de relações dos moradores do cortiço da Lapa com habitantes de outros quatro bairros da cidade, Oswaldo Cruz, Gávea, Penha e Pavuna. Por meio de um processo fabulatório, construímos uma colcha de histórias que são permeadas por encenações, canções e vídeos”, comenta Alex Teixeira. 

A encenação conta com quatro performers (Alex Teixeira, Clarisse Zarvos, Rach Araújo e Zeza Barral) em cena e Leah (atriz convidada e moradora do Chora Vinagre) que contam histórias dos entrevistados fazendo uso de metalinguagem, música ao vivo (com composições de Genaro da Bahia, também morador do Chora Vinagre) e projeções em vídeo. As cenas costuram memórias, imagens, rotinas, sonhos, esperanças e dramas dos entrevistados, relacionando as habitações com a vida na cidade.

Essa é a Segunda criação do Teatro ao Redor, a primeira foi “Travessia Tiradentes” – peça itinerante que percorria a Praça Tiradentes e os arredores da região revisitando a memória cultural e a boêmia daquela localidade.

SINOPSE

A peça de teatro documentário 69 Cômodos aborda as relações de pessoas comuns com suas casas e com a cidade. Ao longo de dois meses, o grupo Teatro ao Redor percorreu diferentes bairros do Rio de Janeiro e registrou conversas com moradores, como uma imigrante israelense que nutre uma aversão aos cariocas, um ex-compositor da Mangueira, uma criadora de pássaros que participa de rinha de aves, uma senhora que vive há mais de 90 anos na mesma rua e uma criança que sonha em ser atriz de série coreana. O destaque da obra é a fabulação a partir de histórias reais: o cotidiano e a normalidade convivem paralelamente com o absurdo e o inesperado, dentro e fora de quatro paredes.  

SOBRE O TEATRO AO REDOR 

Criado em 2019, o grupo investiga temas urbanos, e tem um interesse especial sobre o Centro do Rio e pelo gênero do teatro documentário. Os integrantes compartilham de uma afinidade pelas memórias da cidade e as minúcias do cotidiano. No início de 2020, a equipe criou um podcast inspirado nas histórias dos teatros do entorno da Praça Tiradentes e em 2022 estrearam a peça site specific “Travessia Tiradentes” e a exposição “Travessia”, esta última, realizada no Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica. Em 2023, preparam a peça de teatro documentário “69 Cômodos” e a oficina “Teatro documentário e performance de arquivo”. Como dispositivo de criação, os artistas utilizam procedimentos de pesquisa de campo para destacar elementos de uma cidade porosa e diversa.               

FICHA TÉCNICA:

Argumento, pesquisa e dramaturgia – Alex Teixeira e Clarisse Zarvos

Direção – Alex Teixeira e Clarisse Zarvos

Elenco – Alex Teixeira, Clarisse Zarvos, Rach Araújo e Zeza Barral

Participação – Leah 

Direção musical – Rach Araújo

Músicas – Genaro da Bahia 

Preparação vocal: Soraya Ravenle

Desenho de luz – Lara Cunha 

Adaptação e operação de luz – Bernardo Bastos

Cenografia – Alice Cruz

Figurino – Tiago Ribeiro 

Vídeo – Vitor Kruter 

Foto – Thaís Grechi 

Direção de produção – Aninha Barros – Vaca Amarela

Design – Alessandra Teixeira 

Mídias sociais – Júlia Sarraf 

Assessoria de imprensa – Lyvia Rodrigues – Aquela Que Divulga 

Realização – Teatro ao Redor

SERVIÇO: 

69 Cômodos

Quando 13/04 (sábado), às 19h  

Onde: Espaço Cultural Código

Endereço: Rua Davi, 397 – Nova Belém/Japeri

Capacidade: 40 lugares

Ingresso: gratuito

Duração: 80 min 

Classificação: 14 anos

Instagram: @teatroaoredor  

Gênero: teatro documental 

Fotos de Thaís Grechi