24 de julho de 2024

17/08/2023, João Chianca, o ‘Chumbinho’, classificado para os Jogos de Paris 2024. Foto: Matt Dunbar/World Surf League

Agência Brasil – O surfista carioca João Chianca, também conhecido como Chumbinho, assegurou a segunda vaga do Brasil na Olimpíada de Paris 2024 – a outra já fora conquistada pelo paulista Filipe Toledo e também se classificou para a WSL Finals, a decisão do título de 2023 da Liga Mundial de Surfe. A definição de ambas as vagas ocorreu na noite de quarta-feira (16) com o fim da etapa regular de Teahupo’o (Taiti), a última do circuito mundial de surfe. Apesar de ter caído na repescagem na etapa do Taiti, o surfista somou pontos suficientes para seguir na luta pelo título de 2023 no WSL Finals e ainda arrematou a vaga olímpica.

“Estou muito feliz. Foi um ano de muitas novidades para mim, estou vivendo tudo pela primeira vez e brigar pela vaga olímpica era algo que não passava pela minha cabeça nos últimos quatro anos. Tudo acontece no tempo certo. Os Jogos Olímpicos em Teahupo´o vão ser um momento muito gigantesco para o surfe. É uma oportunidade incrível em nossas vidas, mas ainda tem um trabalho a ser feito. A vaga olímpica foi decidida de maneira justíssima, porque todos tiveram as mesmas oportunidades o ano todo. Muito feliz de ver a evolução de todo mundo e a minha própria evolução”, disse Chumbinho, de 22 anos, em depoimento ao Comitê Olímpico do Brasil (COB). 

Ao final das 10 etapas regulares do circuito, Chumbinho ficou em quarto lugar no ranking mundial, com 43,950 pontos. O compatriota Filipinho, lidera a lista com 58,300. Apenas os cinco primeiros colocados disputarão o título mundial de 2023. O norte-americano Griffin Colapinto (2º), e os australianos Ethan Ewing (3º) e Jack Robinson (5º) completam o seleto grupo de finalistas.

Quem também sonhava em avançar às duas competições era Gabriel Medina, mas precisava vencer a etapa do Taiti, o que não ocorreu. O tricampeão mundial chegou à final, mas foi superado pelo australiano Jack Robinson, que conquistou o título em Teahupo’o.

Em sexto lugar no ranking mundial, Medina está fora do WSL Finals, que reúne apenas os cinco mais bem colocados na temporada. No entanto, ele pode seguir sonhando com Paris se vencer o ISA Games – mundial da Associação Internacional de Surfe – Porto Rico, em fevereiro do ano que vem. O Brasil pode arrematar um vaga extra masculina nos Jogos de Paris se for campeão por equipes no ISA Games. No feminino, Tatiana Weston-Webb já tem presença assegurada na Olimpíada. Ainda há a possibilidade de outras duas vagas: uma pelo ISA Games e outra em caso de medalha de ouro do Brasil nos ogos Pan-americanos de Santiago (Chile).

O WSL Finals está programado para o período de 8 a 16 de setembro, na praia de Lower Trestles, na cidade californiana de San Clemente (Estados Unidos).

Edição: Cláudia Soares Rodrigues