22 de julho de 2024

América do Sul é o terceiro maior emissor de cruzeiristas para o País – Nos últimos dias, o governo dos Estados Unidos anunciou a suspensão das restrições para estrangeiros imunizados contra a Covid-19 a partir do início de novembro. A nova medida anunciada pela Casa Branca permite a entrada de viajantes estrangeiros que estiveram nos 14 dias anteriores à chegada aos EUA em diversos países, entre eles, o Brasil.

A decisão irá impactar positivamente o turismo americano, incluindo a indústria de cruzeiros, que é um importante impulsionador de visitas internacionais aos País. A América do Sul se destaca entre os maiores mercados emissores de cruzeiristas para a região, ficando atrás apenas da Europa e Canadá. Em 2019, foram 292 mil sul-americanos, em sua maior parte brasileiros, navegando em cruzeiros dos Estados Unidos.

Com a abertura das fronteiras para brasileiros e a estimativa de mais de 70% das Linhas de Cruzeiros operando no País até o fim deste ano, os apaixonados por Navios já poderão fazer suas viagens para o Caribe e demais destinos operados pelos associados CLIA. São diversos roteiros a partir vários portos americanos, como os de Miami e Fort Lauderdale, que percorrem ilhas caribenhas como Porto Rico, St. Thomas, Haiti, Bahamas, Cozumel, Costa Maya, Roatan, St. Kitts, Bahamas Mexico, entre muitos outros roteiros.

Os Cruzeiros são uma das melhores maneiras de experimentar o mundo. Fazer viagens completas, que combinam excelente custo-benefício e proporcionam experiências transformadoras, formam uma combinação perfeita. Segundo uma recente pesquisa da CLIA Global, 82% dos cruzeiristas que já navegaram em outros tempos, querem voltar a fazer cruzeiros em breve. São pessoas não veem a hora de voltar a viajar de navio e se sentem seguras em relação aos robustos protocolos de segurança implementados pela CLIA, sempre em conformidade com as autoridades de cada região.

Em nota, a CLIA Global expressou seu agradecimento à Administração Biden por reconhecer a importância das viagens internacionais para a economia dos EUA e por estabelecer um caminho responsável de retorno dos visitantes internacionais. A Associação aproveitou o momento para divulgar um infográfico com os impactos do segmento na economia americana.

Em 2019, o setor levou aproximadamente 2,5 milhões de visitantes internacionais ao País para embarcar em um cruzeiro, representando quase 18% de todas as embarcações de cruzeiros nos EUA. Os cruzeiristas internacionais nos Estados Unidos gastam US $ 4,5 bilhões anualmente em estadias em hotéis, transporte, varejo e outras empresas americanas, gerando cerca de 60 mil empregos.

Sobre a Cruise Lines International Association (CLIA)

 A CLIA é a maior associação comercial da indústria de cruzeiros do mundo, fornecendo uma voz unificada e é a autoridade líder da comunidade global de cruzeiros. Em nome de seus membros, afiliados e parceiros,  a organização apoia políticas e práticas que promovam um ambiente de cruzeiro seguro, saudável e sustentável,    promovendo experiências positivas de viagem para os mais de 30 milhões de passageiros que  fazem  cruzeiros anualmente.

A comunidade CLIA inclui as mais prestigiadas linhas de cruzeiros oceânicas, fluviais e especiais do mundo; uma comunidade de agentes de viagens altamente treinados e certificados; e  uma rede generalizada de stakeholders , incluindo portos e destinos, desenvolvimento de navios, fornecedores e serviços de negócios.

A CLIA representa  95% da capacidade mundial de   cruzeiros marítimos, além de 54.000 agentes de viagens e 15.000 das maiores agências de viagens do mundo. A sede global da organização fica em Washington, DC, com escritórios regionais localizados nas Américas do Norte e do Sul, Europa, Ásia e Australasia. Para mais informações, visite  cruising.org  ou siga-nos no  Facebook,  Instagram,  Twitter e  YouTube  com nosso @CLIAGlobal — ou no  LinkedIn. Membros da mídia, entre em contato conosco em press@cruising.org para obter mais informações.