22 de julho de 2024

Por Arnaldo Bittencourt / Fotos: Marcus Lauria

Fonte: www.carpointnews.com.br

Montado sob a plataforma Global V da Renault, a Nissan encara o Versa como um sedan global, tendo por essa razão comercializado o modelo em aproximadamente 170 países. Lançado no Brasil em 2007, o Nissan Versa começou a ser vendido no país com o nome de Tiida. Na época, era importado do México.

CONFIRA O VÍDEO: https://youtu.be/5iWmsVMQohg

Em 2011, a Nissan lançou no Brasil a 2a geração do Versa, que conviveu com o Tiida (ou Versa de 1a geração) até 2013. Hoje o Nissan Versa está na sua 3a geração, que mantém a mesma plataforma (ou seja, espaço interno e bom porta-mala garantidos) e agrega mais equipamentos e um visual totalmente novo, aprimorado. Interessante notar que o Versa de 2a geração permanece em produção, agora batizado de V-Drive.

As novas linhas ficaram mais sinuosas e deixaram o modelo com cara mais jovem, mas sem abrir mão do visual tradicional que caracteriza um sedan. O polêmico estilo antigo foi substituído por um visual moderno. Na dianteira, as linhas estão alongadas, com faróis afilados e uma bela grade cromada. Já nas laterais destacam-se os apliques na coluna C, gerando o efeito de “teto flutuante”.

Na versão testada (Sense, a mais básica) as rodas são aro 15 com calotas plásticas. Não curti muito o visual dessas calotas, por sinal. Se comprasse o modelo, trocaria as rodas por outras em liga leve, mantendo o mesmo aro. É verdade que nas versões Advance (intermediária) e Exclusive (topo de linha), as rodas são em liga leve, aro 16 e 17, respectivamente. Na traseira chamam a atenção as novas lanternas, com design bem superior às anteriores. Há também um defletor de ar na parte inferior do parachoque agregando valor ao visual. Destaca-se que não foi só o design externo que mudou (para melhor). 

O interior do carro também passou por profundas mudanças. A diferença em relação à geração anterior é perceptível. O painel, por exemplo, foi totalmente redesenhado e confeccionado com materiais de melhor qualidade, sendo apresentado em dois tons com uma texturização ao centro. 

Por falar na região central do painel, há um sistema de áudio com rádio AM/FM, entrada auxiliar, bluetooth e conector USB. Em teoria a versão Sense traz apenas 4 auto falantes, mas achei o som tão bom que posso jurar que há tweeters instalados na coluna A, na altura do painel. É um sistema simples, mas que te permite ouvir Spotify sem fio ou o seu pendrive abarrotado de músicas numa boa. Vale registrar que, nas versões mais caras (a partir da intermediária Advance, na verdade), o sistema de áudio ganha o multimídia Nissan Connect, com display touchscreen colorido de 7”, Apple CarPlay e Android Auto. 

O painel de instrumentos também ganhou um visual novo, bem mais atual, contendo um display de 3,5” ao centro, que agrega o computador de bordo com informações sobre consumo e autonomia, hodômetro parcial e total, nível de combustível e um econômetro. O painel digital que costuma aparecer na propaganda do carro, com tela multifuncional de 7” polegadas e 12 funções (conta-giros digital, bússola, informação de GPS, etc), está disponível apenas a partir da versão Advance. Nas portas os materiais também melhoraram consideravelmente. As maçanetas internas são cromadas desde a versão Sense, algo que não é comum para a categoria. O local onde apoia-se o braço é macio, agradável ao tato.  

Os bancos estão com um desenho novo, arrojado, com forração em dois tons e uma espuma de boa densidade. O banco do motorista, já na versão Sense, é equipado com a tecnologia Zero Gravity da Nissan (Gravidade Zero, numa tradução livre), que ajuda a reduzir a sensação de peso e  acomoda o corpo do motorista de modo competente, com muito conforto. É preciso reconhecer que o interior do novo Versa ficou muito bonito e moderno, repleto de bons materiais, tudo agradável ao olhar. As novidades da 3a geração do Versa não pararam por aí…

De série, a versão mais básica do modelo já traz seis airbags (frontais, laterais e cortina), ar condicionado, comandos de áudio e telefone no volante, chave presencial, botão de partida (itens raros em modelos da categoria), controle de tração e estabilidade, ABS (com controle eletrônico de frenagem – EBD e assistência de frenagem – BA), auxiliar de partida em rampa (HSA), sensor de estacionamento traseiro. Câmera de ré só a partir da versão Advance…

O espaço interno do modelo continua acima da média, principalmente no banco traseiro. Uma pessoa com 1,80 consegue facilmente cruzar a perna ao sentar-se no banco traseiro, mesmo o banco dianteiro estando regulado para uma pessoa de estatura similar. O porta-malas, com 466l, oferece muito espaço, apesar das dobradiças estilo “pescoço de ganso” roubarem um pouco desse espaço.   

05

O motor do Versa é o mesmo utilizado por outro modelo da Nissan, o SUV Kicks (código HR16DE 1,6L). Trata-se de um motor 1.6 flex atmosférico de 4 cilindros, bloco e cabeçote em alumínio, 16 válvulas, duplo comando com acionamento por corrente (nada de correia dentada!), variação de fase na admissão e escapamento. Entrega 114cv a 5.600RPM, podendo o torque máximo (15,5Kgfm) ser alcançado a 4.000RPM. Trata-se de um motor bem elástico, que permite retomadas de velocidade com suavidade e segurança. O câmbio manual de 5 marchas da versão Sense apresenta engates precisos e bom escalonamento. A alavanca fica em uma altura boa, facilitando a troca das marchas. 

Com esse conjunto motor e câmbio, e considerando o peso do carro (1080kg), é possível afirmar que o desempenho do sedan é muito bom. O carro faz 0-100km/h em 10.8s, e alcança uma velocidade máxima de 185km/h. Em termos de consumo, os números homologados do Versa são igualmente bons: 8,1km/l no etanol e 11.8km/l na gasolina (cidade) e 9.6km/l no etanol e 13.8km/l na gasolina (rodovia).

Os bons números de desempenho e consumo reduzem o peso das críticas que o modelo receberá críticas por não ter motor turbo (nem como opcional), similar ao que é oferecido pela concorrência. A suspensão do Versa é bem equilibrada, oferecendo ótima estabilidade e conforto. Em termos de construção a Nissan segue uma solução bastante tradicional, adequada para a proposta do veículo: McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira.  

Agora vamos aos valores…. A versão Sense manual testada custa aproximadamente R$94 mil. Considerando que o Versa é um carro simples, de entrada, não é barato. É necessário reconhecer, entretanto, que dentro da realidade do mercado automotivo brasileiro, o modelo oferece uma boa relação custo-benefício. Com mais R$6 mil, adiciona-se ao carro um câmbio CVT, apoio de braço e piloto automático. Já a versão intermediária (Advance) parte dos R$108 mil, agregando rodas em liga leve de 16”, multimídia de 7”, painel digital, câmera traseira, dentre outros. A versão topo de linha (Exclusive) parte dos R$120 mil, agregando um melhor acabamento nos bancos, faróis em led, ar condicionado digital, câmera 360º, monitoramento de ponto cego, alerta de colisão frontal com assistente inteligente de frenagem, dentre outros. É fato que a Nissan logrou entregar para o mercado um Versa aprimorado, melhor em todos os aspectos se comparado à geração anterior.

Em um mundo dominado pelos SUVs, os sedans precisam se preparar para a guerra se quiserem conquistar a garagem dos consumidores. Não é à toa que muitas marcas marcas vêm desistindo de comercializar sedans, principalmente aqueles de valor mais elevado. Analisando a concorrência, posso elencar como principais concorrentes do Versa modelos como Toyota Yaris Sedan, Volkswagen Virtus, Hyundai HB20S, Chevrolet Onix Plus e Honda City, com destaque para os dois primeiros. Pois é, a vida do Nissan Versa não será fácil por aqui… O fato é que, com visual mais atraente e bem equipado desde a versão mais básica, o Versa está pronto para disputar o seu espaço no competitivo mercado nacional de sedans compactos.

*FICHA TÉCNICA:

Mecânica

Motorização 1.6

Combustível             Álcool            Gasolina

Potência (cv)            114     114

Torque (kgf.m)         15,5    15,5

Velocidade Máxima (km/h)           185     185

Tempo 0-100 (s)      10,8   

Consumo cidade (km/l)      8,1      11,8

Consumo estrada (km/l)    9,6      13,8

Câmbio          manual de 5 marchas

Tração           dianteira

Direção          elétrica

Suspensão dianteira          Suspensão tipo McPherson e dianteira com barra estabilizadora, roda tipo independente e molas helicoidal.

Suspensão traseira            Suspensão tipo eixo de torção, roda tipo semi-independente e molas helicoidal.

Dimensões

Altura (mm)   1.465

Largura (mm)           1.740

Comprimento (mm)             4.495

Peso (Kg)      1.074

Tanque (L)    41

Entre-eixos (mm)     2.620

Porta-Malas (L)        466

Ocupantes    5

*Dados do fabricante