12 de julho de 2024

Lançado na França em 2009 sob a plataforma PF2 (desenvolvida para veículos compactos), o Peugeot 3008 causou certa confusão no seu ano de lançamento. Derivado do Peugeot 5008 (à época uma espécie de minivan) de 7 lugares, o meio automotivo não entendia como categorizar o 3008… Seria uma minivan, seria um crossover?

CONFIRA O VÍDEO: https://youtu.be/DnzemgDYmBQ

Apesar dessa leve (e breve) confusão, quem testou o 3008 elogiou bastante o modelo, tanto que no ano seguinte ao seu lançamento (2010) o 3008 foi agraciado pela imprensa europeia com alguns prêmios de “carro do ano”. Aqui no Brasil, o 3008 apareceu pela primeira vez em 2010 no Salão de São Paulo. O carro chamou a atenção por aqui graças ao seu estilo diferenciado e aos pacotes de itens de série e opcionais disponíveis. Quem acompanha o setor automotivo sabe que a Peugeot sempre arrasa nesses quesitos.

Em 2017 a Peugeot trouxe para o Brasil a segunda geração do 3008, importada da França. A grande novidade, além do design, era que o carro vinha montado sob a plataforma EMP2 (Efficient Modular Plataform 2). Nessa segunda geração, o Peugeot 3008 abandonou por completo o visual minivan/crossover, transformando-se, indiscutivelmente, em um SUV. Um SUV muito bonito e completo, no melhor estilo Peugeot, diga-se de passagem.

O carro que testei é esse Peugeot 3008 de segunda geração, porém com o face-lift apresentado ao Brasil em meados de 2021, na versão topo de linha (GT Pack).  A título de curiosidade, o 3008 2022 é comercializado em duas versões: Griffe (a partir de R$246 mil) e GT Pack (completa, custa R$271 mil). As duas versões são importadas da França.

Basta uma rápida olhada para o carro para perceber que a Peugeot conseguiu melhorar o design do modelo, que já era bastante atraente. Na nova frente, destaca-se a bela grade dianteira (sem bordas), os belos faróis em Full LED, além dos DRL (day road light) em forma de presas (dentes) de leão. Ao acionar a seta (que é do tipo “scrolling”), a presa pisca em amarelo para sinalizar a intenção de convergência.

Na traseira, o carro conta com lanternas em LED em formato de garra (em 3D!), tornando a assinatura luminosa na retaguarda muito mais incisiva e esportiva. Há ainda um acabamento em black piano, que se estende por toda a largura da tampa do porta-malas de ambos os lados do veículo, contribuindo para aumentar visualmente a largura da traseira. A tampa do porta-malas pode ser aberta com um toque do pé no parachoque traseiro. Diferentemente do que ocorre nos modelos da concorrência, no 3008 essa função funciona muito bem, recebendo o meu selo de qualidade!

Um breve parêntese em relação ao porta-malas: com 520 litros, sua capacidade é muito boa. Transportei minha bicicleta aro 29 no 3008, tendo sido suficiente tirar a roda dianteira para que a magrela coubesse facilmente no 3008. Tive que abaixar os bancos traseiros, bem entendido. Finalizando a análise externa do SUV, destacam-se também as belas rodas aro 19 com pneus 235/50, bem como o teto escurecido com área panorâmica, que pode ser aberto até a metade (tipo um teto solar convencional).

Recheado de tecnologias de ponta, destacam-se no 3008 os dispositivos de ajuda à condução de última geração: (i) Piloto automático adaptativo com função stop&go – trata-se de piloto automático adaptativo capaz de manter a distância do 3008 em relação ao carro da frente, freando e acelerando de acordo com a necessidade. Se a parada for total, o carro acelera novamente sozinho caso a parada não seja superior a 3 segundos. Essa função é excelente para o trânsito nas grandes cidades, curti bastante! (ii) Alerta de permanência em faixa, sendo o sistema capaz de corrigir a trajetória do veículo de modo a mantê-lo na faixa. Testei o sistema, funciona bem. Se a faixa for bem demarcada, o carro faz a curva sozinho, embora o sistema não tenha sido projetado para isso. Tanto é que, se o condutor retirar as mãos do volante, soa um alarme e pinta um aviso no painel solicitando que o condutor assuma o volante do carro.

(iii) Frenagem automática de emergência, capaz de frear o carro sozinho para minimizar ou evitar impactos caso sejam detectados pedestres ou veículos na trajetória do 3008 em situações que o sistema entenda que o condutor não será capaz de reagir a tempo de evitar um possível acidente.

(iv) Leitor de placas, capaz de reconhecer não só as placas de velocidade, mas também placas com sinal de “PARE”, “Contramão”, “Ultrapassagem Proibida”. O sistema funcionou bem durante o teste, aumentando a sensação de segurança durante a condução do 3008.  A Peugeot chama esse conjunto de recursos de auxílio à condução de “Peugeot Driver Assist Plus.

Além disso, o 3008 ainda oferece uma gama completa de equipamentos de ajuda à condução e conforto, a saber: (i) Visiopark 1 e 2, que possibilitam visão da traseira em 180º e visão da dianteira e traseira em 360º, respectivamente. A qualidade da imagem das câmeras é aceitável, poderiam ser melhores; (ii) Peugeot Park Assist (assistência de estacionamento em vagas paralelas e transversais); (iii) Comutação automática entre farol alto e baixo, de acordo com a situação da via. Em relação ao sistema de iluminação do carro, destaco que os faróis, em full led, iluminam muito bem, contando inclusive com iluminação exclusiva no sentido da curva, que otimiza a visibilidade nas convergências. Em função da tecnologia aplicada a esses faróis, o carro dispensa faróis de neblina, portanto não vá cometer a gafe de reclamar da falta de faróis de neblina dianteiro no Peugeot 3008! Basta ligar a luz de neblina traseira que os faróis acionam o “foggy mode”, direcionando a iluminação dianteira para baixo com uma intensidade apropriada para enfrentar neblina; e

(iv) Bancos massageadores multi pontos para motorista e passageiro (sim, no 3008 quem vai ao lado do motorista no banco da frente também tem direito a massageador). Esse massageador foi mais do que aprovado… Como sinto a falta dele ao entrar no meu carro. Experimentem a modalidade de massagem (são várias) “catpaw”, no modo “forte”. Uma delícia! Outro ponto do carro que merece destaque é o i-Cockpit 2.0, composto por: (i) um painel de instrumentos com visualização de alta qualidade. Os instrumentos são apresentados em um cluster digital com 12,3 polegadas de tela, configurável e personalizável. Desnecessário mencionar que o contraste é excelente, fazendo com que os instrumentos permaneçam visíveis em qualquer situação; (ii) uma tela de multimídia de 10 polegadas sensível ao toque, acompanhada por sete elegantes teclas “toggle switches”, que permitem acesso direto e permanente às principais funções de conforto: rádio, ar condicionado, navegação 3D conectada com comando de voz, configurações do veículo e aplicativos móveis. Confesso que demorei um pouco a me acostumar com a lógica desse sistema, senti falta de um botão “home” a partir do qual fosse fácil acessar qualquer função do multimídia. Depois de um tempo peguei o jeito e me acostumei a comandar as funções a partir das teclas que lembram os comandos de um painel de avião. Infelizmente o sistema não permite conexão a Android Auto e Apple CarPlay em modo “sem fio”. A operação desses recursos ainda depende de cabo USB; e (iii) o volante pequeno, em um formato achatado que facilita bastante a visualização do painel de instrumentos, além de tornar a direção do carro mais sensível em função do seu tamanho diminuto. Vale lembrar que, ao sentar no 3008, o condutor deve colocar o volante em um posição que seja possível visualizar o painel por completo por cima do aro do volante. Há quem não goste desse volante pequeno, mas eu curto bastante! A pegada é ótima, principalmente para quem gosta de dirigir com uma das mãos na parte superior do volante.

Sentando ao volante, percebe-se a razão pela qual o Peugeot 3008 2022 está custando mais caro… Novos estofados e acabamentos vêm marcar a subida de gama do carro, contribuindo para a percepção de qualidade e atratividade do habitáculo. Assim, materiais premium como alcantara (uma espécie de couro mais sensível ao toque, comum em carros bem mais caros que o 3008) podem ser encontrados na porta e nos bancos do 3008 GT Pack. O retrovisor interno, fotocrômico, não tem bordas. O conforto sonoro é garantido por um sistema HiFi Premium de 515watts desenvolvido pela marca francesa FOCAL, conhecida pelos projetos de áudio de alta fidelidade, as grades dos alto falantes (tweeters e saída central) ganham um novo acabamento em uma bela tonalidade de bronze.

O Peugeot 3008 vem equipado com o sofisticado e premiado motor 1.6 THP de 165cv e 24,5kgfm de torque a apenas 1.400RPM. Como é importado da França, funciona apenas com gasolina. Pesando 1375kg, esse propulsor consegue fazer o 3008 acelerar de 0-100km/h em respeitáveis 8.9 segundos. Durante o teste, o carro se mostrou bastante ágil no trânsito e rápido em ultrapassagens, transmitindo segurança nas manobras. Velocidade pode se traduzir em segurança, quando utilizada no momento certo. Enfim, sempre que o condutor quiser imprimir um ritmo mais rápido e divertido à condução do 3008, o motor THP estará pronto para entregar o desempenho desejado, principalmente se o modo de condução “esportivo” estiver selecionado (além do esportivo, há os modos “eco” e “normal”, acionados através de um botão ao lado do belo “joystick” do câmbio).

Aliado ao bom motor THP, há uma caixa automática de seis velocidades, fabricada pela japonesa AISIN (empresa de câmbios automáticos do Grupo Toyota). Com escalonamento preciso e trocas bem programadas, a caixa cumpre o seu papel de modo eficiente, permitindo trocas de marcha com rapidez, mas também fluidez. Há aletas atrás do volante que permitem a troca manual das marchas.

O equilíbrio entre boa potência, torque e carroceria moderna resulta em bons números de consumo. Na cidade consegui fazer 9.5km/l e na estrada fiquei em 13km/l, acima da média de 12km/l divulgada pela marca. Essas boas médias já eram esperadas, afinal os carros que funcionam apenas com um combustível costumam apresentar médias de consumo melhores.  A suspensão do 3008 foi calibrada para a esportividade: apresenta ótimo comportamento em curvas. No asfalto brasileiro, é possível sentir algumas irregularidades do solo, mas não chega a ser desconfortável.

Dentre os principais concorrentes do 3008 (R$246mil o Griffe, R$271mil o GT Pack, versão testada), destaco o Jeep Compass (entre R$150mil e 220mil), Chevrolet Equinox (172cv, R$189mil), Volkswagen Taos (até R$200mil) e Ford Territory (R$215 mil, ficando aquém do 3008 em termos de desempenho). Há também o Ford Bronco no páreo (custa R$269 mil, entretanto oferece grande habilidade offroad). O Toyota Corolla Cross não possui desempenho inferior e oferece acabamento mais simples, entretanto goza de boa fama em matéria de confiabilidade (é um Toyota) e oferece uma versão hybrid (preço em torno de R$200 mil).

Eis, portanto, o grande defeito do Peugeot 3008… Seu preço. É verdade que o carro é muito bom, tanto em termos de mecânica, quanto em termos de acabamento. É uma delícia dirigir o 3008, e o carro chama bastante atenção por onde passa. Quando o assunto é acabamento, arrisco afirmar que ele é o melhor da lista. A questão é o preço… Esse foi, inclusive, o comentário que mais ouvi durante o período que passei com o carro: puxa, que carro legal, demais hein, mas esse preço eu não pago de jeito nenhum. Fica a dica, Peugeot! (Por Arnaldo Bittencourt / Fotos: Marcus Lauria / Fonte: www.carpointnews.com.br)

*FICHA TÉCNICA:

Mecânica

Motorização  1.6

Combustível  Gasolina

Potência (cv)  165

Torque (kgf.m)  24,5

Velocidade Máxima (km/h)  206

Tempo 0-100 (s)  8,9

Consumo cidade (km/l)  9,8

Consumo estrada (km/l)  12,1

Câmbio  automática com modo manual de 6 marchas

Tração  dianteira

Direção  elétrica

Suspensão dianteira  Suspensão tipo McPherson e dianteira com barra estabilizadora, roda tipo independente e molas helicoidal.

Suspensão traseira  Suspensão tipo eixo de torção e traseira com barra estabilizadora, roda tipo semi-independente e molas helicoidal.

Dimensões

Altura (mm)  1.625

Largura (mm)  1.841

Comprimento (mm)  4.447

Peso (Kg)  1.320

Tanque (L)  53

Entre-eixos (mm)  2.675

Porta-Malas (L)  520

Ocupantes  5

*Dados do fabricante