Dilma manda ministro da Saúde embora por telefone

Arthur Chioro perdeu o cargo pelo acordo do Governo com PMDB, que ameaçava a presidente com pautas-bomba no Congresso Nacional Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Arthur Chioro perdeu o cargo pelo acordo do Governo com PMDB, que ameaçava a presidente com pautas-bomba no Congresso Nacional
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, foi demitido ontem, por telefone, pela presidente da República Dilma Rousseff (PT). A conversa, que ocorreu pela manhã, foi telegráfica. A presidente apenas informou ao ministro que precisava do cargo.
Em entrevista dada ao jornal O Estado de S.Paulo na segunda-feira (28), Chioro havia afirmado que, qualquer pessoa que ficar à frente da pasta enfrentará, no próximo ano, uma situação difícil caso a proposta de Orçamento seja aprovada no Congresso da maneira que foi enviada. De acordo com ele, os recursos reservados para a área de média e alta complexidade pagam as despesas somente até setembro. O cargo de Chioro deverá ser ocupado por um integrante do PMDB. A mudança é um arranjo para o governo obter maior apoio no Congresso.
Menos de 12 horas depois de desembarcar em Brasília, Dilma já teve um primeiro encontro com seu vice, Michel Temer, na manhã de ontem. Os dois tiveram uma rápida reunião no Palácio do Planalto para conversar sobre a reforma ministerial.

Temer (PMDB) ficou satisfeito: seu partido foi contemplado pela presidente

Temer (PMDB) ficou satisfeito: seu partido foi contemplado pela presidente

Para superar o impasse com o PMDB, a presidente sinalizou que estaria disposta a dar sete ministérios à sigla. Até agora, ela trabalhava com o número de seis pastas. Assim, ficaria mais fácil atender à demanda dos deputados peemedebistas, que exigem comandar dois ministérios, além da bancada do partido no Senado e do grupo do vice.
No encontro, Dilma garantiu a Temer que quer prestigiar todas as alas do PMDB na reforma e disse que foi aconselhada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e outros aliados a ampliar o espaço da legenda no governo.
Segundo auxiliares de Temer, ele saiu convencido de que a presidente está disposta a resolver o problema com o PMDB e a contemplar todo o partido na reforma ministerial.

error: Conteúdo protegido !!