COLUNA ESPAÇO MOTOR por JOÃO MENDES – 25/06

Novo Citroën C3 vai mais longe com menos
160624 V21

A Citroën apresentou sua linha 2017 do compacto premium C3 e a grande novidade é a versão Puretech com a motorização 1.2 L, 3 cilindros, 12 válvulas, Flex, que desenvolve 90 cavalos de potência a 5.750 RPM e tem torque de 127 Nm a 2.750 RPM, econômica demais e com autonomia pra 1000 km com um tanque. O carro é muito gostoso de dirigir e confortável porque esse motor tem um torque que funciona bem em baixas rotações e assim você não tem necessidade de ficar toda hora trocando de marcha, eu superei quebra-molas a 20 Km/h em 3º marcha e retomei a aceleração sem problemas e como o motor é elástico pode se passear a 50 ou 60 km/h em quinta marcha, consumindo pouco, e depois retomar a velocidade. Fiz vários testes para retomar a velocidade, inclusive em ladeira, e o motor respondeu muito bem. Outra vantagem é o consumo, o C3 Puretech recebeu nota AAA pelo Inmetro devido ao baixo consumo e a baixa emissão de poluentes porque, usando apenas gasolina, ele faz 14,8 km/l no perímetro urbano e 16,6 km/l na estrada. Na próxima coluna eu falo mais deste carro que tem preço inicial de R$46.490 e revisões periódicas com preços reduzidos.
JAC T5, SUV racional
160624 V22

Fiz teste do JAC T5, SUV da marca chinesa que esta sendo vendido por aqui numa versão bem completa. Ele tem motor de 1.5 L. 16V, VVT Flex, que desenvolve 127 cavalos e tem câmbio manual de 6 velocidades. No perímetro urbano dá show, é confortável, econômico e prático com um porta malas de 600 L. Quem compra um SUV com motor 1.5 não esta pensando em performance e sim em economia e por sua utilidade. Com este conceito na estrada também vai bem e fica mais fácil perceber que a cabine tem boa vedação e o silencio gera mais conforto. No perímetro urbano cheguei a fazer 10 km/l de gasolina e na estrada 13,5 km/l. No simples ato de fechar uma porta a gente percebe, no som mais abafado, que o carro tem bom revestimento e borrachas de vedação de qualidade. No interior bancos em couro bem acabados, muitos porta-objetos, central multimídia com tela de 8″ que espelha o smartfone e onde monitoramos a câmera de ré, tudo num design de se elogiar. O JAC T5 testado tinha o chamado Pack 3 com muitos itens tecnológicos e de segurança custando R$70.690 e tem como concorrentes diretos o Ford Ecosport e o Renault Duster com preços parecidos mas sem a farta lista do Pack 3 do T5. Para ganhar mercado a JAC esta com preço bom,  a versão de entrada é anunciada no site por R$59.990. A verdade é que andando no dia a dia com um T5 nem parece que ele é chinês e ainda tem garantia de 6 anos com preços acessíveis para as revisões programadas.

Mais Uma Do Uber

Enquanto tem empresa de e-comerce de autopeças dando desconto para quem faz parte do UBER o site comparaonline.com.br fez pesquisa que indica que o seguro de um carro trabalhando com o aplicativo UBER fica mais caro em média 28% e no caso do Toyota Corolla o acréscimo no valor da apólice é de 50%.

Homenagem do Puma Clube do RJ

O jornalista automotivo José Rezende Mahar será o grande homenageado no Encontro Mensal do Puma Clube do Rio de Janeiro – Puma Rio, aberto a todo e qualquer carro antigo. O Encontro acontece no próximo dia 2 de julho, sábado, no Shopping Uptown Barra (av. AyrtonSenna, 5.500), a partir das 11 horas. Tradicionalmente todos os meses o Puma Clube do Rio de Janeiro distribui troféus de Puma do Mês e Clássico do Mês. A partir deste mês o Troféu Clássico do Mês passa a se chamar José Rezende Mahar e o Troféu Puma do Mês volta a se chamar Eduardo Ribas. Mahar era considerado um dos mais completos jornalistas automotivos brasileiros, sempre participava dos encontros do clube e faleceu recentemente. Eduardo Ribas, também falecido, foi um dos fundadores do Puma Clube do Rio de Janeiro.

Lacre do Rio de Janeiro

De uns tempos pra cá os carros emplacados no Rio de Janeiro recebem, na placa traseira, um lacre de plástico. Depois que é colocado o arame que passa no lacre ele se fecha com uma pequena tampa que tem um numero. Esse numero tem importância ? A meu ver não porque os carros emplacados a mais tempo nem possuem ele e os carros emplacados fora do Estado do Rio de Janeiro também não possuem. Esse número também não consta na nota fiscal do veículo nem no documento mas se você tiver lacre de plástico num carro emplacado no Estado do Rio de Janeiro e a tampinha com o numero não estiver lá, você não consegue emplacar, e o que é pior, se parar numa blitz pode ser rebocado. Essa é mais uma forma criada pelo Detran RJ para arrancar um dinheiro dos proprietários de veículos, a taxa para um novo lacre é de R$23,25, e como isso só acontece na hora da vistoria, e o Detran RJ não tem competência para ter uma cabine recebendo esse dinheiro nos seus postos de atendimento, o motorista tem que ir embora e voltar depois causando um grande e perda de tempo. Lembrando que só o Estado do Rio de Janeiro tem esse lacre numerado que não tem efeito prático nenhum e o lacre que foi criado quebrava tanto que mudaram o modelo e a forma de encaixar e quem paga pela ineficiência é o contribuinte proprietário do veículo.

error: Conteúdo protegido !!