17 de junho de 2024
Carlos Minc (foto), do PT, Viva Rio, a PM e a indústria de armas debaterão projeto de lei apoiado pela Bancada da Bala Alerj/Divulgação
Carlos Minc (foto), do PT, Viva Rio, a PM e a indústria de armas debaterão projeto de lei apoiado pela Bancada da Bala
Alerj/Divulgação

Quem possui arma de fogo, registrada ou não, de qualquer calibre, e quer participar da Campanha pelo Controle de Armamento, pode comparecer, nesta sexta-feira (21), das 10h30 às 13h, ao posto de coleta na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), prédio Anexo, na Praça 15.
O evento é promovido pela Comissão Especial pelo Cumprimento das Leis da Alerj (Comissão do Cumpra-se!), com apoio do Viva Rio, da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ) e dos deputados federal, Alessandro Molon, e estadual Carlos Minc. Dependendo da arma, o doador receberá indenização de R$ 150 a R$ 450.
Para transportar a arma até o posto de recolhimento, o interessado em participar da campanha precisa registrar o armamento (caso não seja registrada) no site da Polícia Federal (www.dpf.gov.br).
Após a entrega das armas, haverá debate às 14h, no auditório da Escola do Legislativo (Rua da Alfândega, 8),
sobre o projeto de lei 3722/12, que, pode ser votado no início de setembro, na Câmara Federal, e representa, segundo Minc, um retrocesso na luta pelo controle de armas no país.

O deputado federal, Alessandro Molon (PT), também apoia o evento contra os “radicais”
O deputado federal, Alessandro Molon (PT), também apoia o evento contra os “radicais”

Participarão do debate o deputado federal Alessandro Molon, o deputado estadual Carlos Minc, o chefe de gabinete do Comando Geral da PMERJ, coronel Ibis, o representante do Viva Rio Antônio Rangel, o representante do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Daniel Cerqueira e um representante da Associação Nacional das Indústrias de Armas e Munições (Aniam).
O PL 3722/12, que tem apoio da chamada Bancada da Bala, pode ser votado no início de setembro, na Câmara Federal. Segundo o deputado Carlos Minc, o projeto de lei é um retrocesso na luta pelo controle de armas no país, ao triplicar o número de armas e munições que podem ser compradas e ao reduzir, de 25 para 21 anos, a idade mínima para aquisição de armamento; entre outros pontos.
“Não podemos deixar que a Bancada da Bala ganhe mais essa. Na sexta, debateremos a consequência do PL no aumento de mortes por armas de fogo e as modificações necessárias para impedirmos esse retrocesso. E organizaremos, com Viva Rio, PM e Molon, um posto de coleta na Alerj para a entrega voluntária de armas”, disse Minc.

error: Conteúdo protegido !!